A temida CETOACIDOSE DIABÉTICA

Nunca passei por uma CETOACIDOSE, mas nem por isso não estudei sobre ela.

Bora aprender sobre uma das principais causas de morte em diabéticos?

O que é CETOACIDOSE DIABÉTICA?

Cetoacidose diabética é uma condição grave que pode resultar em coma ou até mesmo em morte; a cetoacidose ocorre quando há falta ou insuficiência de insulina no sangue, assim o corpo não consegue utilizar a glicose como fonte de energia.

Como acontece a CETOACIDOSE DIABÉTICA?

Para que nosso organismo possa funcionar, o fígado entra em processo de glicogenese transformando nossas reservas de gordura em glicose, produzindo junto as cetonas, também conhecidos como corpos cetônicos.

Qual o problema de ter cetonas no sangue?

Durante esse processo de quebra de gordura para ser transformada em glicose, estes corpos cetônicos são lançados na corrente sanguínea, deixando nosso sangue mais ácido (com o pH mais baixo do que o normal); com o sangue mais ácido, ocorre a desnaturação de enzimas e proteínas o que leva a uma acidose metabólica.

Complicado? Peraí que te explico de uma forma mais simples...

Quando nos falta insulina, nosso fígado entra em modo de segurança para manter nossos órgãos vitais em funcionamento, pois sem insulina, não há transporte de glicose para dentro das células; assim o fígado começa a transformar nossas reservas de gordura em glicose, e junto com a produção de glicose, se formam cetonas no sangue. Essas cetonas podem envenenar nosso corpo, causando a cetoacidose diabética.

Em pessoas que não têm diabetes, um baixo nível de cetonas é normal e não prejudicial. Eles aparecem se a pessoa não comeu por algum tempo (jejum) e após o exercício físico prolongado. Em pessoas sem diabetes, glicose, insulina e cetonas trabalham juntos para fornecer ao corpo a energia que necessita.

Na diabetes, as cetonas são produzidas quando a glicemia não está bem controlada. Cetonas na urina são um sinal de que o corpo está utilizando gordura para a ter energia em vez de usar a glicose.

Qualquer diabético pode ter CETOACIDOSE?

A cetoacidose diabética é mais comum em diabéticos tipo 1, mas também pode acontecer em diabéticos tipo 2.

CAUSAS

São consideradas possíveis causas da cetoacidose diabética:

  • Desconhecimento de que a pessoa tem diabetes e consequentemente, a falta de tratamento;

  • Aplicação de dose de insulina menor do que seria necessário;

  • Catéter da bomba de insulina dobrado ou entupido, deixando o organismo sem insulina.

  • Consumo de energia do corpo temporariamente aumentado, em virtude de infecções (principalmente as infecções urinárias e do trato respiratório) traumas, acidentes vasculares (infarto do miocárdio e AVC) e uso de certos medicamentos, condições essas em que o gasto de energia do organismo exige doses mais altas de insulina.

  • Abuso de álcool ou drogas.

SINTOMAS

  • Sede intensa e boca seca;

  • Aumento da frequência das micções e da quantidade da urina;

  • Hiperglicemia (glicose alta);

  • Altos níveis de corpos cetônicos na urina;

  • Pele seca;

  • Fadiga intensa;

  • Dificuldade em respirar;

  • Náuseas, vômitos ou dor abdominal;

  • Hálito com odor acentuado de acetona (parecido com fruta),

  • Confusão mental (dificuldade em se concentrar).

DIAGNÓSTICO

Além da avaliação clínica considerando os sinais e sintomas da doença, exames laboratoriais de sangue e de urina ajudam a confirmar o diagnóstico da doença. Alguns aparelhos de medição de glicose também medem as cetonas no sangue, então se sua glicose está descontrolada ou você já apresentou quadro de cetoacidose anteriormente, é interessante adquirir um desses para controlar em casa. Especialistas recomendam medir as cetonas quando a glicose está acima de 240mg/dL.

PREVENÇÃO

  • Conheça os sintomas da cetoacidose para reconhecê-los precocemente;

  • Controle os níveis de glicemia no sangue e quando esse valor for elevado, controle os corpos cetônicos, mesmo em casa, utilizando fitas desenvolvidas para esse fim;

  • Procure assistência médica, quando as taxas estiverem elevadas ou quando tiver com infecções e/ou febre.

TRATAMENTO

O tratamento para cetoacidose diabética envolve geralmente uma combinação de várias abordagens para normalizar os níveis de açúcar e de insulina no sangue. Se a cetoacidose é resultado de uma infecção ou doença, receberá tratamento para as complicações também.

Reposição de líquidos

Você deve repor os líquidos para substituir os nutrientes que são normalmente perdidos como resultado da cetoacidose diabética. A reposição de líquidos também é útil para diluir a quantidade de açúcar no sangue.

Insulinoterapia

A insulina provavelmente vai ser administrada até o nível de açúcar no sangue cair para 240mg/dL ou menos. Quando os níveis de açúcar no sangue ficarem dentro de uma faixa aceitável, você voltará a sua rotina normal de insulina.

Substituição de eletrólitos

Níveis de insulina abaixo do normal podem afetar a produção de eletrólitos no seu corpo. Eletrólitos são minerais eletricamente carregados que ajudam no funcionamento dos nervos e coração. A reposição de eletrólitos também é comumente feita por via intravenosa no hospital.

POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES

  • Hipoglicemia: se o seu nível de açúcar no sangue cai muito rapidamente, por conta do tratamento para cetoacidose, você pode desenvolver hipoglicemia.

  • Baixo nível de potássio (hipocalemia): os fluidos e insulina usados para tratar a cetoacidose diabética podem deixar o seu nível de potássio muito baixo. Um nível baixo de potássio pode prejudicar as atividades de seu coração, músculos e nervos.

  • Inchaço no cérebro (edema cerebral): A alteração da glicose feita muito rapidamente pode produzir inchaço em seu cérebro. Esta complicação parece ser mais comum em crianças, especialmente em quem foi recém diagnosticado.

Cetoacidose Diabética

Esteja preparado para agir rapidamente

Se você suspeitar de cetoacidose diabética, procure atendimento de emergência. Se você for usuário de bomba de insulina, é aconselhado ter um aparelho de medição de cetonas em casa, pois é bem comum o catéter da bomba dobrar, deixando o organismo sem insulina.

E SE EU MEDIR AS CETONAS EM CASA, COMO EU SEI SE ESTÁ NORMAL?

Níveis de corpos cetônicos no sangue são um pouco diferentes de pessoa para pessoa, caso o seu resultado esteja acima do nível normal e você esteja sentindo algum dos sintomas descritos acima, procure seu médico imediatamente.

Atualmente, o Brasil tem apenas um aparelho que faz a medição das cetonas, o FreeStyle Libre ou o Optium Neo – funciona da mesma forma que medimos a glicemia, com tiras próprias para isso. CLIQUE AQUI PARA VER ONDE ACHAR AS TIRAS

Abaixo de 0.6mmol/L

Leituras abaixo de 0.6 mmol/L estão num intervalo normal. Siga as indicações do seu médico, antes de fazer qualquer alteração na sua medicação para a diabetes.

Entre 0.6 e 1.5mmol/L

Leituras dentro deste intervalo, com um nível de glicose no sangue superior a 240 mg/dl, podem indicar o início de um problema. Siga as indicações do seu médico.

Mais de 1.5mmol/L

Leituras acima de 1.5 mmol/L, com um nível de glicose no sangue superior a 300 mg/dl, sugerem que você pode estar desenvolvendo cetoacidose diabética.

Destaques