A diabetes e o anticoncepcional


A DIABETES E O ANTICONCEPCIONAL

Esse não é um post informativo. Quer dizer, talvez seja, pois pela pesquisa que fiz, 70% das mulheres diabéticas não sabem dos riscos de se usar métodos contraceptivos hormonais (famoso anticoncepcional) tendo DM. Esse é um post com um pedido, pois eu estou num dilema muito grande quanto ao uso do anticoncepcional. Então contarei minha história com essa bolinha branca que tomo todos os dias desde meus 16 anos.

Comecei a fazer o uso do anticoncepcional ainda adolescente. Qual o motivo? É o que me venho perguntando aos 28 anos de idade. Nunca tive problemas de acne, meu ciclo era muito regrado, não tenho endometriose nem ovários policísticos, nunca apresentei quadros de enxaqueca; ok, eu tinha uma pele bem oleosa, mas quem não teria aos 16 anos com uma dieta rica em Trakinas, Miojo, Nuggets e pastel? Ah, e tinha umas cólicas menstruais horríveis (que não deixaram de existir e que um remedinho combinado com uma bolsa de água quente resolviam). Comecei a tomar a pílula pelo mesmo motivo que a maioria das adolescentes começa. Não queria ser mãe cedo. Não vou nem entrar no mérito do uso da camisinha, adolescente é meio abobado e comete uns erros de vez quando, eu sei, já fui uma. Desde 2005, nunca deixei de tomar o anticoncepcional. Aos 23 anos, quando fui diagnosticada com Diabetes Tipo 1, minha ginecologista falou dos riscos que a diabética tem em fazer uso desses hormônios e que o indicado era uma píluca com pouco hormônio; eu já usava um de baixa dosagem, logo, mantive o mesmo.

Aí você me pergunta, quais riscos que a sua gineco falou? TROMBOSE. E isso não é risco para qualquer mulher? Sim, mas em diabéticas é muito maior. Nossas variações glicêmicas fazem com que a gente acumule gorduras nas veias, com isso juntamos dois fatores que potencializam o risco do entupimento das veias e artérias.

Só que eu sempre pensei: tenho a glicemia super controlada, não preciso me preocupar. Será mesmo? Por que estou me sujeitando a esse risco? Quais benefícios que o anticoncepcional traz para mim?

Em dezembro, na consulta com a ginecologista, reclamei mais uma vez da retenção de líquido absurda que tenho e na dificuldade de emagrecer mesmo seguindo minha dieta super regrada. Na consulta, a Drª. Mariângela sugeriu que eu parasse de tomar, prontamente eu respondi: NÃO.

Imagina o descontrole que isso ia causar na glicose? E gravidez? Deusmelivre.

Saí do consultório pensando: essa médica "tá" é louca. Só que aquela dúvida ficou ali, e se eu parasse de tomar? Será que não melhoraria minha retenção? Será que minha glicose ficaria tão ruim assim? Não seria melhor lidar com um descontrole temporário e me poupar de uma possível trombose no futuro??

Depois de muitas conversas com as meninas do meu grupo, com minha irmã maravilhosa super feminista e que me instiga sempre, com minhas amigas desde o tempo que comecei a usar o anti, resolvi pesquisar mais sobre o assunto.

Fui para a internet buscar mais informações, li diversas matérias e vários artigos médicos, vamos ao resumo da pesquisa de conteúdo que fiz: "Não existe um único método contraceptivo adequado a todas as mulheres com diabetes, pois cada método tem vantagens e desvantagens. A anticoncepção hormonal consiste em administrar hormônios artificiais, semelhantes aos produzidos pela mulher, capazes de impedir a ovulação. São bastante eficazes, mas deve-se avaliar quais mulheres podem fazer uso, devido aos efeitos colaterais e contra-indicações. É sabido que os anticoncepcionais hormonais, sejam orais, injetáveis, adesivos ou anéis vaginais, aumentam o risco de desenvolvimento de trombose. Logo, para as mulheres diabéticas o risco será muito maior. Segundo a FEBRASGO, se a paciente diabética tiver menos de 35 anos, com a diabete bem controlada e não for fumante poderá fazer uso dos contraceptivos hormonais. Os anticoncepcionais de baixa dosagem não estão implicadas na deterioração significativa do metabolismo da glicose e podem ser recomendadas para quem tenha diabetes bem controlado. Mas as mulheres que são diabéticas há muitos anos e que já tenham complicações vasculares devem usar outro método anticoncepcional. Os preparados comerciais disponíveis no mercado estão sob a forma de comprimidos de uso oral ou vaginal, injetáveis e os implantes. Podem conter progestágenos isoladamente ou associados aos estrogênios. Podem ser de uso diário contínuo, intermitente ou pós-coital (pílula do dia seguinte) ou mensal."

Minha ginecologista já me deu o aval, mas confesso que me dá frio na barriga. Por isso, estou me abrindo aqui e pedindo para que você, que já teve a experiência de tomar anticoncepcional por tantos anos, divida comigo sua história e talvez ajude até outras DM a tomar a decisão de fazer uso ou não desse método.

LEMBREM-SE! Cada uma sabe o que é melhor para si, não devemos julgar a decisão da amiga pela sua própria verdade. Se você usa e não vê problema, beleza. Se você não usa porque acha que vai fazer mal, beleza também.

Ah, e usem sempre camisinha, independente de anti ou não :) Anticoncepcionais não protegem das DST/AIDS. Gravidez com diabetes descompensada é perigoso tanto para a diabética quanto para a formação do feto. Nunca se deve usar um anticoncepcional hormonal sem aconselhamento do ginecologista, pois não é apenas o DM que tem o uso restrito.

Destaques