Tresiba x Lantus


Após 50 dias de uso de Tresiba (insulina Degludeca do laboratório NovoNordisk), chegou a hora de falar sobre minha experiência com essa insulina, que até então, era nova para mim. Quando fui diagnosticada em agosto de 2012, comecei a fazer o tratamento com a Lantus (insulina Glargina do laboratório Sanofi), uma insulina que promete estabilidade e duração de 24h. Na época e durante 3 anos, eu não fiz contagem de carboidratos e usei uma dosagem de Lantus muito maior que eu precisava (expliquei aqui), por diversos fatores fiz mudanças no meu tratamento, e com essas alterações, meu controle começou a melhorar cada vez mais. De uma glicada de 7,5%, cheguei aos 6%, de uma gordura corporal de 40%, cheguei aos 20%, de 24u de Lantus, cheguei às 12u, e depois dos muitos altos e baixos, conheci meu corpo a ponto de alterar dosagem de Lantus antes mesmo que a TPM pudesse mexer nas minhas glicemias, dividi a dose da Lantus pois sabia que ela não durava 24h em mim e que sim, ela tinha picos em que fazia eu ter hipo 8h depois que aplicava e hiper 20h depois que eu aplicava.

Nossa Dani, mas que controle maravilhoso! Se você já tinha tudo isso com Lantus e ainda ganhava do Governo, por que optou por testar a Tresiba? Foi a mesma questão que a minha médica trouxe para mim, inclusive, ela me deu vários argumentos: em teoria a glicada não vai diminuir, a dosagem vai se manter a mesma, terá o mesmo "ganho" de peso (ou seja, se acha que vai emagrecer mais fácil, esquece) e ela demora até 5 dias para estabilizar no organismo, enquanto a Lantus, em 3 dias, a dose já está ajustada. E em time que está ganhando não se mexe, certo? É, em tese. Eu sou a otimista que acha que sempre pode ficar melhor, talvez seja minha visão de marketing, em que não podemos deixar o mercado se atualizar antes de você ou minha lua em sagitário que adora um desafio. Falei para ela de quão chato era ter que colocar despertador nos finais de semana para manter o horário de aplicação da Lantus às 8h e às 22h, argumentei como era chato ter que ficar ajustando dose de basal durante meu ciclo menstrual, e comentei sobre como TODAS as pessoas com as quais eu conversei, achavam a Tresiba muito mais estável.

Dito isso, ela me deu o aval: testa por meio ano, vamos ver se tu vais sentir diferença, afinal, com uma paciente com o teu controle, será ótimo para avaliarmos. Comecei com as mesmas 12u que estava fazendo de Lantus, ainda com o alerta da médica: pode ser que você tenha hiperglicemia na primeira semana até a Tresiba começar a fazer o efeito dela. Faceira, me cadastrei no programa NovoDia e peguei minha primeira Tresiba de graça (fica a dica), nem esperei acabar minha Lantus e comecei o novo tratamento no dia 14/12/2016. Primeiro dia ok, segundo dia foi surra de hipos durante a tarde, terceiro dia, surra de hipos durante a tarde – na sexta de noite, entrei em contato com a médica que disse para eu baixar para 10u – sábado já alterei a dose para 9u pois sou teimosa e eu achava que 9 era o ideal, na segunda começou a estabilizar.

Aí, começaram as observações: mesmo com a dosagem de basal mais alta do que eu precisava, não tive nenhuma hipo na madrugada. Se eu tivesse com a Lantus acima da dose que eu precisava, era hipo na certa durante o sono. Ponto para a Tresiba, estou desde dezembro sem acordar com hipoglicemia. Nos primeiros dias, tive que diminuir minha ultrarrápida, mas assim que consegui achar meu ponto de equilíbrio de basal, voltei com a proporção de sempre na bolus. Então veio o grande desafio: 2 semanas de férias na casa dos meus pais.

Normalmente, as férias bagunçam meu controle, primeiro porque deixo de treinar na academia e fico só fazendo aeróbico, segundo porque é mais difícil manter os horários das refeições e terceiro, é mais difícil ainda não acompanhar a família nos carboidratos e gordices. Foi aí que a Tresiba me surpreendeu. Estabilidade total, pouquíssimas hiperglicemias (todas que tive foram culpa minha) e NADA de hipoglicemia. Consegui passar 2 semanas de férias com a glicose dentro da meta e não engordar nem 100g com todas refeições livres que fiz. Mais um ponto para a Tresiba.

E por último, chegou a temida TPM. Pensei: como faço para ajustar a dose de basal com a resistência que tenho na TPM?? E agora? Que ajuste que nada. A Tresiba conseguiu segurar até minha resistência do ciclo menstrual, mantive ela nas mesmas 9u.

Voltei das férias para minha rotina de treinos e começaram as hipos da tarde. Como ainda não tive minha reconsulta com a nutri, não sei se foi alguma mudança de metabolismo, só sei que diminuí mais 1u e estou mantendo a Tresiba em 8u desde o dia 06/01/2017.

Em outubro, fiz o exame de glicada e estava em 6%, repeti o exame na semana passada e o resultado? 6%. Nisso a endócrino estava certa, contudo, sabemos que uma glicada baixa não é sinônimo de bom controle, o bom controle se dá com a combinação da glicada baixa com uma variação glicêmica abaixo de 50mg/dL e livre de hipoglicemias. A Tresiba é uma excelente insulina por isso, porque diminuí muito minha variação, diminuí muito meus episódios de hipo, zerei as hipos noturnas e não preciso mais acordar às 8h da manhã de um domingo para aplicar insulina, já que a Tresiba tem uma flexibidade muito maior (até 7h) de aplicação.

Financeiramente falando? Eu ganhava a Lantus do Governo, então estou tendo um gasto com Tresiba. Mas vamos combinar né gente, 1 caneta a cada 40 dias não vai me fazer mais pobre, ainda mais me trazendo esses benefícios que ela trouxe. 40 dias Dani? Ela não estraga? Outra vantagem da Tresiba, ela dura até OITO semanas depois de aberta. E como falei antes, TODOS os usuários de Tresiba usam uma dosagem menor que da Lantus, então se você compra Lantus, eu diria que vale a pena o teste.

Resumo da ópera: Tresiba tem todo meu amor! Se eu já era apaixonada pela NovoRapid, agora a NovoNordisk tem meu coração e pâncreas <3

*Nunca faça alterações no seu tratamento antes de consultar um médico

Destaques

Temas

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • LinkedIn - White Circle

© 2017 por Daniela Olmos