Diabetes não é matemática

Diabetes não é matemática exata, cada dia nosso corpo se comporta de uma maneira, mesmo a gente fazendo tudo igual. Porém, assim como no nosso dia a dia em que enfrentamos situações adversas que nos fazem aprender, acontece com o diabetes, não me sinto uma sobrevivente e não acho que vou passar o dia todo me sentindo mal porque saí de uma hipo de 38 hoje. Culpa? Também não tenho. Organismo é isso, vida é isso. Um dia a gente erra no outro a gente acerta. Isso é algo que insisto muito nos grupos que participo, não carregue um resultado desses como um fardo, leve como um indicador para te guiar, deu hipo hoje? Analisa se não aplicou insulina a mais que precisava, se sua insulina basal está devidamente ajustada; se deu hiper, avalia sua alimentação, sua proporção na contagem, sua dose de basal. Por que eu tive hipo hoje? Porque de uma certa forma, eu relaxo mais nas análises quando estou usando o Libre e agora que estou há dois dias sem sensor, não prestei atenção como minha glicemia estava baixando muito no exercício desde ontem, pois tinha aumentado 1u de ultrarrápida no café devido a uma certa resistência que deve ter passado. Amanhã já aplicarei 1u a menos e terei um cuidado extra. Diabetes não é matemática exata, é exercício de paciência. E esse exercício é diário. *Pós treino ficou em 126, fui de 38 a 137 em 20min com 30cho, e quando estabilizou, comecei o treino, mas peguei leve hoje, cuidado com a saúde acima de qualquer objetivo estético.

Destaques